padre_edited.jpg

Nossa História

SAO JOAO BOSCO.jpg

Cidade Dom Bosco é uma obra social religiosa localizada em CorumbáMato Grosso do Sul. É reconhecida mundialmente pelo trabalho educacional, profissional e cristão que desenvolve em prol, principalmente, das crianças e jovens carentes da comunidade corumbaense e da região. É chamada de Cidade devido aos inúmeros setores que compõe a obra, como Escola Estadual Dom Bosco, Paróquia São João Bosco, Assistência Social com os seus programas: Programa Crianças e Adolescentes Felizes (PCAF), Adolescentes Aprendizes e Adoção a Distância, os projetos Sino da Caridade e Clube de Mães, CENPER (Centro Padre Ernesto de Promoção Humana e Ambiental) e União dos Ex-Alunos da Cidade Dom Bosco, entre outros.

Foi fundada em 3 de abril de 1961 pelo Padre Ernesto Sassida e apoiado por um grupo de idealistas e beneméritos. Atualmente a obra social faz parte da Missão Salesiana de Mato Grosso.

História

A história da Cidade Dom Bosco está profundamente ligada ao padre Ernesto Sassida. Ele é o fundador e o primeiro animador do espírito missionário que dá sustentação a todas as iniciativas desta "cidade". Em 1958 padre Ernesto passou a reunir e organizar os meninos que andavam pelas ruas de Corumbá.

No dia três de abril de 1961 foi fundada a "Escola Profissional Alexandre de Castro". Funcionando num pequeno barracão, na periferia da cidade, tornou-se a primeira semente que germinou. A escola recebia meninos e meninas pobres, com a finalidade de oferecer formação profissional, instrumento para a sua inserção no trabalho, superando a própria situação de miséria. Pouco depois, a pequena escola converteu-se num internato para recolher os meninos de rua que não tinham família ou viviam abandonados, expostos à marginalidade, prostituição e criminalidade. Logo o barracão ficou pequeno. Ainda nesse período, em convênio com a Prefeitura, implantou-se um Centro de Saúde para atender adultos, meninas e meninos pobres. Após percorrer diversas cidades do Brasil em busca de recursos, conseguiu apoio no exterior.

Dessa forma, foi possível continuar a atender aos que procuravam a obra. Aos poucos, vários bem-feitores formaram uma rede de apoio financeiro. Entre 1969 e 1971, a Operação Mato Grosso, entidade italiana ligada aos salesianos, construiu uma grande escola de alvenaria. A partir deste momento, a obra começou a se chamar “Cidade Dom Bosco”. Os jovens escolhiam o seu Prefeito e se organizavam em departamentos como numa autêntica cidade.

A instituição foi reconhecida pelo "Conselho Estadual de Educação" como experiência pioneira. Recebeu o nome de “Escola – Comunidade”, por oferecer uma educação integral. Ou seja, aulas e também outras atividades extraclasses e extraescolares como: banda marcial, teatro, shows, palestras educativas, campanhas de cidadania, envolvendo as famílias e a comunidade toda.

Na década de 1970, intensificou-se o movimento associativo (Scout, Bandeirantes, Vigilantes Mirins, Engraxates, Vendedores Ambulantes, Patrulheiros Mirins, e outros). Visando protegê-los da rua e de seus perigos, foi inaugurada a Casa do Pequeno Trabalhador. Foi uma resposta à realidade daqueles tempos, na qual os pequenos trabalhadores puderam ter acesso à escolarização e defesa de seus interesses. Em 1972, com a ajuda do Poder Público Estadual, foram construídos um Centro Esportivo e um salão de teatro.

Com isso, favoreceu-se o desenvolvimento de atividades associativas da comunidade, coordenadas pela Cidade Dom Bosco. No começo dos anos 80, surgiu um semi-internato que evoluiu até se converter no atual "Projeto Criança e Adolescente Feliz". Nos anos 90 foi construído o Centro Profissional Dom Bosco, uma continuação das pequenas oficinas que instruíram muitos jovens nas décadas anteriores. A formação recebida no Centro Profissional assegura aos jovens maiores oportunidades de trabalho dentro e fora de Corumbá, garantindo a plena execução da cidadania.

Com o tempo, o bairro periférico onde fora instalada a estrutura física da obra foi transformando-se. Hoje, o bairro chama-se "Dom Bosco". A Cidade Dom Bosco é reconhecida como campo missionário e obra social de grande valor. A Missão Salesiana de Mato Grosso, a comunidade e as autoridades apoiam e favorecem as atividades, por causa do seu compromisso em favor das classes menos favorecidas, preparando inúmeros cidadãos para a vida social e formação de novas famílias.

O Fundador

Padre Ernesto Sassida

Ernesto Sassida nasceu na Eslovênia no dia 15 de outubro de 1919. Ainda garoto, cultivou a vocação salesiana missionária. Chegou ao Brasil com 16 anos, em setembro de 1935. No país, continuou os estudos e foi ordenado sacerdote. 

Enviado para Corumbá, entrou em contato com as famílias pobres da região.  Conheceu de perto a realidade das localidades e percebeu que havia um enorme contraste socioeconômico entre ricos e pobres. 

Tratou de oferecer opções aos perigos que enfraquecem especialmente as famílias mais carentes: a prostituição, o consumo e tráfico de drogas e outras situações que afrontam a dignidade da pessoa humana. 

Fundou a Cidade Dom Bosco, complexo missionário de atendimento à pobreza, através de escola, assistência social, reforço educacional, formação profissional, atendimento à saúde, ações de cidadania e abertura a Deus. 

Animador do espírito que sempre renova a Cidade Dom Bosco, tem se dedicado também com carinho à organização e atuação dos ex-alunos.  Muitas iniciativas e projetos que têm ampliado o alcance da obra são levados adiante por amigos da obra e ex-alunos, tais como: Sino da Caridade, Centro Padre Ernesto de Promoção Humana e Ambiental (CENPER), Projeto Pequeno Herói e Pequeno Herói Pantaneiro, Clube de Amigos do Padre Ernesto. 

Em 2005, foi outorgado ao padre Ernesto o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) pela sua trajetória de vida que se confunde com a larga obra social implantada em Corumbá. 

Já em 2006, a nova sede do Cenper foi inaugurada. Em 2008, foi fundada a União de Ex-Alunos da Cidade Dom Bosco, que tem por concepção ser "uma organização com atuação na área de promoção social e humana, de caráter comunitário, autônoma, sem fins lucrativos" como diz seu estatuto de criação.

Em 2010, foi publicada a revista "Cidade Dom Bosco - 50 Anos Educando com Amor", em comemoração aos 50 anos da obra social iniciada pelo padre Ernesto. Fruto de seis meses de trabalho do jornalista, Gesiel Rocha, a revista trouxe uma linguagem dinâmica, um relato histórico da ação missionária; educacional e assistencial do salesiano.

Em 2012, em comemoração aos 93 anos de idade do padre Ernesto, foi inaugurado o Museu da Cidade Dom Bosco, montado na réplica do antigo barracão onde, em 1961, foi instalada a "Escola Profissional Alexandre de Castro", primeiro nome da Cidade Dom Bosco. O local abriga diversas fotografias e objetos que retratam a trajetória de um dos mais longínquos e importantes projetos sociais desenvolvidos em Corumbá.

No dia 02 de março de 2013, o padre Ernesto foi internado no Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Corumbá, onde permaneceu em tratamento médico contra uma pneumonia agravada por problemas cardíacos crônicos. Seu falecimento ocorreu no dia 13 de março, em decorrência de uma parada cardíaca, após 11 dias de internação médica.